Violência doméstica contra as mulheres

16820044_770x433_acf_cropped-770x433

Apesar de ser um crime e grave violação de direitos humanos, a violência contra as mulheres segue vitimando milhares de brasileiras reiteradamente: 43% das mulheres em situação de violência sofrem agressões diariamente; para 35%, a agressão é semanal. Esses dados foram revelados no Balanço dos atendimentos pela Central de Atendimento à Mulher.

Em relação ao momento em que a violência começou dentro do relacionamento, os atendimentos revelaram que os episódios de violência acontecem desde o início da relação.

Dados em números

23,51% - desde o início da relação

23,28% - acima de 1 ano até 5 anos

14,52% - acima de 6 meses até 1 ano

8,98% - acima 1 mês até 6 meses

29,71% - outros períodos

De três em cada cinco mulheres jovens já sofreram violência em relacionamentos, aponta pesquisa realizada pelo Instituto Data Popular,37% das jovens também afirmam ter tido relação sexual sem preservativo por insistência do parceiro.

A pesquisa revela também altos índices de naturalização da violência nos

relacionamentos, que é mais associada a agressões físicas. Embora apenas 8% das mulheres admitam espontaneamente já terem sofrido violência do parceiro e só 4% dos rapazes reconheçam que já tiveram atitudes violentas contra parceiras, diante de exemplos de atos violentos como ameaçar, xingar, humilhar, controlar, impedir de sair ou de usar determinada roupa, entre outros, 5 % dos homens declararam ter realizado tais práticas e 66% das mulheres afirmaram ter si o alvo de alguma das ações citadas no questionário por parte.

Para 70% da população, a mulher sofre mais violência dentro de casa do que em espaços públicos no Brasil, diz um balanço realizado pelo Instituto Patrícia Galvão, que revelou que 7 em cada 10 entrevistados consideram que as brasileiras sofrem mais violência dentro de casa do que em espaços públicos, sendo que metade avalia ainda que as mulheres se sentem de fato mais inseguras dentro da própria casa. Os dados revelam que o problema está presente no cotidiano da maior parte dos brasileiros. E 69% das pessoas afirmam acreditar que a violência contra a mulher não ocorre apenas em famílias pobres, pois a maioria das mulheres sentem medo e nunca procurou ajuda nem denunciou o agressor.

No Brasil, entre 2001 a 2011, estima-se que ocorreram mais de 50 mil feminicídios: ou seja, em média, 5.664 mortes de mulheres por causas violentas a cada ano, 472 a cada mês, 15,52 a cada dia, ou uma morte a cada 1h30.

Lei Maria da Penha

Já a Pesquisa Avaliando a Efetividade da Lei Maria da Penha (Ipea, março/2015) apontou que a Lei nº 11.340/2004 fez diminuir em cerca de 10% a taxa de homicídios contra mulheres praticados dentro das residências das vítimas, o que “implica dizer que a LMP foi responsável por evitar milhares de casos de violência doméstica no país”.

Fontes: Central de Atendimento à Mulher e Instituto Data Popular